quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Em busca do Reino das Torres Verdes...


Em busca do Reino das Torres Verdes, na Serra dos Candeeiros, com a luz do Sol e o brilho do azul celestial:
Estávamos à espera de um comboio a vapor, preto e vermelho, daqueles que desenham nuvens no Céu, mas ele não estava lá. Foi o Ogre do bosque que escondeu os carris. As Fadas tentaram remediar o sucedido e sobre o caminho estenderam macios tapetes de veludo verde. Mas o Ogre não desistiu e sobre o veludo colocou uma passadeira de pedras que tivémos de superar. Alguém muito forte, rompeu a montanha e deixou ali uma passagem em cujo fundo se avistou a luz que alimenta a esperança.
Cheirámos a Terra molhada e o doce aroma do alecrim, observámos as formas que o Ogre adopta quando se funde nas rochas, descobrimos um abrigo na montanha construído por uma alma cujo poder do coração amoroso alivia o cansaço de quem se põe ao caminho, recuperámos energia numa laranja espremida e do alto da serra avistámos um castelo cujas torres verdes anunciaram a gratificação de missão cumprida. Descobrimo-lo, ele existe...
E os porquinhos (mais de 3) e as ovelhinhas e a vaca que ri... e as orquídeas selvagens e as plantas que parece que picam mas não picam e as janelas da montanha...
E a pata do Ogre carimbada na lama!!! «Não mãe, isso é o sapato de alguém!».

Leonor Bento Fialho

PAIS PELA ESCOLA EM ANDAMENTO


PAIS PELA ESCOLA EM ANDAMENTO

No passado dia 30 de Janeiro, PAIS PELA ESCOLA, Associação de Pais do Agrupamento de Escolas Marinhas do Sal, levou a cabo mais uma caminhada que concentrou mais de 70 pessoas.
Num dia de sol de que já éramos credores, por volta das 10 horas, rumou-se até á localidade da Bezerra onde, depois de estacionados os veículos, se deu início a uma caminhada pela Serra dos Candeeiros, no percurso denominado Porto de Mós-Corredoura.
Este é um percurso que, pela serra, se desenvolve ao longo de uma antiga linha de caminho de ferro, que ligava a mina de carvão da Bezerra a Porto Mós. É uma área muito rica, quer do ponto de vista da Geologia, quer do da Botânica, que apresenta paisagens verdadeiramente deslumbrantes, seja quando avistamos, ao longe, Porto de Mós com as suas construções em fantástica exposição solar, seja quando nos detemos sobre as vistas de serra e observamos quer os maravilhosos rochedos, quer as diversas plantas existentes no caminho.
O percurso faz-se caminhando sobre as pedras que marcam o antigo caminho de ferro, já sem carris, o que constituiu a parte mais difícil de vencer. Mas nem por isso se desanimou, pois, a cada passo, revelava-se uma surpresa. Segue ao longo da encosta da serra e atravessa grutas escurecidas pelo carvão, passando também por moinhos sem velas, mas com música, graças ao muito vento que ali sopra. E que vento!
PAIS PELA ESCOLA contou, mais uma vez, com a colaboração do CAOS, a quem, empenhada, agradece.
A caminhada terminou, como já vem sendo hábito, com um agradável almoço, no qual participou a grande maioria do grupo.
No final ficou a promessa de novas e renovadas caminhadas.
PAIS PELA ESCOLA convida toda a população escolar, e não só, a juntar-se ao grupo nestes eventos que, sublinha-se, são gratuitos.
Mais desenvolvimentos e uma história de encantar podem ver-se em paispelaescola.blogspot.com.

Manuela Fialho

PAIS PELA ESCOLA EM ATL DE VERÃO

PAIS PELA ESCOLA EM ATL DE VERÃO


PAIS PELA ESCOLA, Associação de Pais e Encarregados de Educação do Agrupamento de Escolas Marinhas do Sal, levaram a cabo, durante todo o período de férias escolares de Verão, um ATL.

Durante toda a época balnear, PAIS PELA ESCOLA, serviu, não só as crianças deste Agrupamento, como toda a comunidade riomaiorense.

Atendendo à crise que o país atravessa, a Direcção da Associação apostou em abrir as suas portas a toda a comunidade, aceitando todas as crianças em idade escolar que necessitassem dos seus serviços, praticando, para o efeito, preços acessíveis a todas as bolsas. A população aderiu, em força, a esta oferta.

PAIS PELA ESCOLA contou, para tanto, com a disponibilidade de alunos voluntários que, juntamente com a Presidente da Direcção, Dr.ª Rita Castro, colaboraram na organização de actividades, constituindo grupos de trabalho, encabeçados pelos mais velhos, o que muito os motivou e agradou a todos quantos quiseram usufruir deste serviço.

Contribuíram para este efeito os seguintes elementos: Ivone Castro, Eusébio Almeida, Francisco Salgado, Beatriz Marques, António Castro, Rodrigo Ribeiro, António Reis, Leonardo Lourenço, Wilson Santos, Margarida Santos, Mariana Silva, Beatriz Simões e Mariana Salgado.

A Direcção está grata pelos bons serviços prestados por estes voluntários, vindo por este meio, agradecer e louvar o seu voluntarismo ao serviço da comunidade riomaiorense.

A Direcção da Associação pretende ainda agradecer a colaboração das entidades envolvidas, a saber, a Escola Básica de Marinhas do Sal, a Câmara Municipal de Rio Maior, a DESMOR e o Café STADIUM, cujos préstimos em muito engrandeceram o trabalho ali realizado.

A Direcção

Violência das redes sociais

Loading...